Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

TRETA NO PAPÃO

Vice do Papão nega convocação para protesto e fala sobre briga entre presidente e Hélio dos Anjos. Ouça!

terça-feira, 15/09/2020, 17:43 - Atualizado em 15/09/2020, 17:55 - Autor: DOL


Ieda Almeida negou ter convocado os protestes na Curuzu, mas afirmou que Hélio dos Anjos não tolerou ser "detonado" por Ricardo Gluck Paul.
Ieda Almeida negou ter convocado os protestes na Curuzu, mas afirmou que Hélio dos Anjos não tolerou ser "detonado" por Ricardo Gluck Paul. | Reprodução

Circulam nas redes sociais um áudio feito pela vice-presidente do Paysandu, Ieda Almeida, comentando e esclarecendo a saída do técnico Hélio dos Anjos, que pediu demissão nesta terça-feira (15). Na gravação, ela também fala e nega a autoria de um outro áudio que foi compartilhado mais cedo e atribuído à Ieda nas redes sociais, que convocava a torcida para fazer um "quebra-quebra" na Curuzu para protestar pela permanência do treinador. 

Na suposta gravação compartilhada pela manhã, uma mulher afirma a necessidade de que a torcida pressione o clube e o presidente para que quem sai seja Felipe Albuquerque, diretor de futebol bicolor. Ieda, entretanto, nega que a mulher no áudio seja ela. 

"Tá rolando um áudio convocando todo mundo para fazer confusão, dizendo que sou eu, mas isso não é verdade, jamais faria isso", afirma a vice-presidente na segunda gravação.

Ouça o áudio na íntegra:

| Autor:
 

Ieda, então, começa a esclarecer sobre a saída de Hélio dos Anjos, falando que o clima começou a complicar no clube após a retomada do Parazão, chegando a citar o filho do treinador. "Quando voltou da pandemia, voltamos a jogar, o Hélio dos Anjos veio muito influenciado por aquele filho dele, que gosta muito de futebol europeu, ele começou a trabalhar com uma linha alta. Eu não preciso dizer para vocês, gente, o caos que foi pra nós isso", afirmou Ieda.

Ieda afirma que, mesmo a direção discordando, o presidente Ricardo Gluck Paul "foi engolindo para não ter esse problema de intervenção", mas que a situação mudou após a derrota para o Japicuiense na Série C. "Ai o Ricardo entrou no vestiário e detonou! Reclamou, criticou pesado, mesmo. Colocou nesse momento tudo isso que vocês (equipe do clube) falam, que o torcedor falava", disse a vice-presidente. "Ele não aguentou, não quis ser cobrado. Porque ele já é um senhor, é complicado para ele ser cobrado, sei lá"

Ieda ainda afirma que Hélio não tolerou a atitude do treinador. "Agora, a pressão lá dentro (do clube) ficou ruim, sim, e o clima ficou muito ruim, porque, imagine você, ter chamada a atenção pelo seu chefe, ai no dia seguinte tu vai estar rindo pra ele? Não vai. Ele não gostou de ter sido cobrado. Agora, pessoal, ele é funcionário do clube. No final das contas, quem vai ficar numa situação pior é o Ricardo. Então ele cobrou. Cobrou pesado, mesmo. E ele não engoliu. Fizeram uma reunião ontem, tentaram resolver, mas ele não engoliu."

A vice-presidente ainda afirma que o clima de descontentamento com o trabalho de Hélio dos Anjos existia dentro do Paysandu e entre os torcedores. "Eu queria só que vocês, pelo menos reconhecessem que vocês mesmos mandavam mensagem pra gente reclamando do trabalho dele, queria que vocês lembrassem isso. Ai hoje ele pediu demissão e virou herói nacional? Que é isso".



Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS