Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$
CANTORA NEGA

Advogada que acusou Luísa Sonza de racismo se manifesta pela primeira vez

sábado, 19/09/2020, 20:50 - Atualizado em 19/09/2020, 21:38 - Autor: Fonte: Metropóles


A cantora nega desde o início que não cometeu o crime
A cantora nega desde o início que não cometeu o crime | Reprodução

A advogada Isabel Macedo está processando Luísa Sonza por agressão e injúria racial.  Ela contou publicamente que a cantora teria a confundido com uma garçonete da pousada onde fazia um show em setembro de 2018, em Fernando de Noronha. A cantora negou as acusações. “O que fez com que ela pensasse que eu só pudesse ser, naquele lugar de rico, a empregada?”, questiona Isabel.

Discreta, Isabel não havia se manifestado sobre o processo até o momento, e aceitou conceder entrevista somente ao Portal Notícia Preta. “Eu acionei o judiciário para que ela pague pelo que fez e entenda que isso não pode se repetir. A minha intenção com a ação é que isso tenha um caráter pedagógico, embora não tenhamos obrigação alguma de ensinar nada ao branco”, afirma Isabel.

“Minha intenção com essa ação é que ela aprenda. Não quero, e nem vou me expor na mídia, pois sei que o sistema racista, muitas vezes, coloca a vítima no lugar de culpada e oportunista, e isso também é uma atitude racista. Racismo não é vitimismo, é crime”, afirma ela. “Espero que isso sirva de incentivo para encorajar todos que forem vítimas de racismo a denunciar. Não podemos ficar calados, porque a dor que sentimos não passa nunca”.

Durante a entrevista, Isabel contou o que aconteceu entre ela e Luísa. “Ao voltar do banheiro fiquei próxima do palco para ouvir a música. Era meu aniversário, eu tinha viajado sozinha e estava dançando, me divertindo e aproveitando a festa. Por um acaso parei atrás da Luisa. No evento tinham vários famosos, mas nem sabia quem era ela. Nunca tinha ouvido falar”, comenta a advogada.

“Foi então que ela virou, bateu no meu ombro e disse ‘Pega um copo d’água pra mim?’. Eu respondi que não tinha entendido, ela repetiu e completou ‘Você não trabalha aqui?’”, conta Isabel. O caso aconteceu há dois anos na Pousada Zé Maria, que também é citada no processo, e só veio a público agora. A advogada questionou Luísa o porquê ela achou que ela trabalhava no local e a cantora respondeu “Não é isso que você está pensando”.

“Na hora eu disse que ela nunca sentiria o que eu estava sentindo, pois nunca seria confundida com as pessoas que servem nas festas que frequenta. Não é demérito ser empregada, eu mesma já fui doméstica, a questão é por que a branquitude sempre nos enxerga nessa posição de serviçal? Por que nos entendem como pessoas que só podem servi-los mas nunca como pessoas que podem consumir, viver e viajar?”, questiona Isabel.

Isabel conta que também sofreu discriminação na delegacia de Fernando de Noronha, quando foi registrar sua denúncia no dia seguinte do show. “A inspetora, uma mulher loira, começou a dizer que eu não era negra, que eu era morena, que não era bem assim. Eu querendo registrar como racismo e ela querendo dizer que era injúria racial. Mas consegui fazer o boletim de ocorrência como racismo”, conta.

Na ação, Isabel pede pagamento de R$ 10 mil por danos morais, retratação pública de Luísa nas redes sociais e fixação de cartazes contra o racismo na Pousada Zé Maria. A cantora se defendeu no Twitter. “Gente, tudo isso é mentira! Não acreditem nisso! Vocês me conhecem bem, sabem qual é meu caráter, minha índole. Eu jamais ofenderia outra pessoa por conta da cor de sua pele. Jamais! Essa acusação é absurda”, escreveu.

A assessoria jurídica de Luísa Sonza também emitiu nota e disse que as afirmações são falsas. “A assessoria jurídica da artista Luísa Sonza, através do seu advogado José Estavam Macedo Lima, vem a público informar que tomou conhecimento do referido processo pela mídia. Que a cantora até a presente data não foi citada de nenhuma ação que venha a lhe imputar o fato que está sendo noticiado. Que as acusações são falsas, inverídicas e vêm em um momento oportunista em razão do crescimento exponencial da carreira da artista. Informa, ainda, que nunca ofendeu ou discriminou qualquer pessoa. Causa estranheza as acusações de racismo, pois até a presente data a artista não recebeu qualquer notificação das autoridades policiais sobre a suposta investigação. Todas as medidas administrativas e judiciais serão adotados para proteger a honra e a intimidade da artista”, diz a nota.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS